9 de mai de 2014

Dia das Mães


O momento de abraçarmos a URSA (15)...

Muitas vezes ela é vista como agressiva, instintiva, ciumenta ao extremo, protege o que tem com unhas e dentes e sua maior preocupação nos primeiros meses de vida de seus filhotes é com sua alimentação.

Vai a caça, luta com todos (e com todas) para conseguir o alimento necessário para sua prole. Mesmo exausta, ela está ali sempre, de olho aberto ou então de ouvido em pé. Nada consegue tirar sua atenção ao perceber que sua cria está sob perigo. 

Estas características não ficam restritas apenas para a mãe Ursa (animal), são características de nossas mães.

Afinal, nossa mãe também enfrenta todas as adversidades lutando em defesa de seu filho. Para ela somos os melhores em tudo, os mais lindos, os mais espertos, os que nunca erram!!!

Ela sente ciúmes, inveja e poderá não medir suas forças no momento de cobrar algo ou ensinar o melhor caminho. Ciúmes sentido quando a paixão chega em nosso coração e para ela estão "roubando" o filho, até parece que no coração dele não haverá mais lugar para ela. Em alguns momentos o instinto maternal fala mais alto, pois quando uma mãe acorrenta seu filho numa cama para que não saia de casa para consumir drogas ela chegou ao seu limite, prefere ele preso, acorrentado sob seus olhos ao invés de perambular pela rua. Não a considere louca, violenta, bandida ou que está promovendo cárcere privado. Considere que ela é MÃE, simplesmente mãe e não medirá esforços para salvar qualquer um de sua ninhada.

Ela nos acalentou em muitos momentos, nos alimentou para que chegássemos hoje aqui onde estamos. Ela não fechou os olhos por algumas noites nas quais estávamos com uma pequena febre. Ela levantou outras tantas vezes da cama para ver se realmente respirávamos quando ainda eramos bebês. A ursa poderá ficar distante de seu filhote nos seus primeiros passeios, mas seus olhos estão vidrados naquele tesouro mais precioso e naquilo que o cerca.

Já viu sua mãe parada na porta na hora em que você sai de casa? Enquanto estamos na linha do seu olhar ela fica ali parada, parece que neste momento ela suplica a Deus para que nos proteja e que nosso retorno seja breve. Se viu ela parada na porta e não a abraçou ao sair, volte e abrace, aperte-a ou apenas olhe no seu olho, assim como fizemos várias vezes quando ela estava a nos amamentar (olho no olho).


Amor nenhum, força nenhuma, sentimento algum é maior que o sentimento de nossa mãe. Então, trate ela como sendo o seu filhote e proporcione a ela o carinho do seu abraço.

Desejo estas palavras a todas as mães (de ventre e de coração) não apenas no seu dia, mas que carreguem sempre a gratidão por ser mãe.

Abraço no coração de todas!!!

Dênis Maapelli